Agentes Prisionais registram tentativas de entrada de drogas e outros ilícitos

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) registrou, no último final de semana, tentativas frustradas de entrada de drogas e outros ilícitos em estabelecimentos penais. Carregador veicular de celular, cigarros de contrabando, entorpecentes e anotações do que pareciam ser números de telefones, foram descobertos pelos servidores das unidades prisionais.

Penitenciária “Gilmar Monteiro de Souza” de Balbinos

No domingo 08/04, durante o ingresso dos familiares de presos na unidade para visitação, uma mulher que visitaria o amásio, foi localizado durante revista em pertences que seriam destinados ao sentenciado, carregador veicular de aparelhos celulares.

Ainda no mesmo dia, outra visitante amasiada de reeducando que cumpre pena na unidade penal, foi flagrada com anotações do que parecem ser números de telefones (Borrados por editor de imagem para preservar a investigação), na parte interna de sua calça, ressaltando que é proibida a entrada e saída de anotações de qualquer espécie sem verificação e autorização da direção da unidade. As visitantes foram impedidas de adentrar a unidade, sendo aberto “Comunicado de Evento” para possíveis providências.

Penitenciária de Taquarituba

No sábado, 07/04, agentes de segurança penitenciária, interceptaram entrada de substância análoga a maconha, além de possível entorpecente conhecido como “LSD” durante procedimento de revista. As drogas estavam escondidas na calça de uma mulher que visitaria o amásio.

Na mesma data outra visitante tentou ludibriar a revista, mas foi pega com erva que potencialmente seja maconha, escondida em seu corpo, circulando a cintura na costura da calça e também presa no elástico da calcinha.

Em ambos os casos a Policia Militar foi acionada, sendo que no primeiro o conselho tutelar foi chamado, pois a visitante trazia consigo uma filha menor de idade.

Centro de Ressocialização de Ourinhos

Uma mulher que faria visita a recluso no CR de Ourinhos no último domingo 08/04, ao passar pelo procedimento de revista, a Agente de Segurança Penitenciária percebeu que a mesma estava com volume suspeito por baixo da blusa e, ao ser questionada, a mesma entregou 10 cigarros afirmando serem do Paraguai, o que é proibido pela SAP por se tratar de produto de contrabando, constituindo ilícito.

Os cigarros foram vistoriados, porém não foi constatada a presença de entorpecentes. A visitante teve sua entrada proibida na unidade, sendo elaborado o competente comunicado e colhidas suas declarações para elaboração do expediente visando a suspensão do rol de visitantes.