Ourinhenses afirmam que não merecem ser feitos de palhaço por políticos

A grande maioria da população de Ourinhos tem sido unânime em afirmar que esperavam mais transparência em relação aos cargos de confiança distribuídos pela prefeitura. A grande pergunta é: _Será que mudar o nome de Cargo de Confiança para Função Gratificada pode enganar o povo Ourinhense? A sensação é de que ninguém cai mais nessa esparrela, mas aparentemente Pocay e sua assessoria ainda não acreditam na inteligencia e na capacidade de analisar fatos da população.
O prefeito municipal, enquanto vereador, sempre foi crítico ferrenho do excesso de Cargos Comissionados que emperravam a maquina pública nas administrações de seus adversários Toshio e Belkis. Esses cargos políticos são tradicionalmente indicados por vereadores “amigos” e usados pelos gestores para conquistar apoio eleitoral e legislativo.
Quando a pedra virou vidraça, o GOVERNO DA MUDANÇA teve uma ideia brilhante: Promover imediatamente uma reestruturação e mudar o nome dos cargos comissionados de menor referencia para função gratificada e deixá-las para ser ocupada por servidores municipais efetivos.
A idéia seria brilhante e nobre se não fosse o fato dos ocupantes das chamadas “FGs” serem escolhidos a dedo pelo gestor e seus acéclas entre aqueles que “balançaram bandeiras” nas últimas eleições.
Sufocado por críticas, após denuncias de que Ourinhos tem mais que o dobro de cargos nomeados pelo prefeito (sejam eles qual for o nome) que cidades como Bauru e Marília, Pocay, em uma atitude típica de pessoas autoritárias e intransigentes, atribuiu a culpa do número exacerbado de apaniguados políticos a supostas inverdades da imprensa local.
Façamos o seguinte, quando a escolha das FGs for feita por processo seletivo interno, provando a capacidade do servidor que ocupará essa função, ai nós da imprensa que não usa “cabresto” deixaremos de criticar o desmando de centenas de indicações políticas, que oneram o caixa da prefeitura e demonstram a falta de prioridade com que o dinheiro dos Ourinhenses é gasto e passaremos a elogiar a atitude de valorizar de fato os servidores com capacidade de chefia.