Mulher é barrada tentando entrar com lâmina de estilete em Penitenciária

Flagrante ocorreu na PI de Reginópolis; outros casos de visitantes com objetos ilícitos foram registrados em unidades prisionais da região
A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) registrou, no último final de semana, diversos casos de visitas tentando ingressar em presídios da região com objetos proibidos. No domingo, 11, agentes de segurança da Penitenciária I “Tenente PM José Alfredo Cintra Borin” de Reginópolis, encontraram, nos pertences de uma mulher de 45 anos, uma lâmina de estilete de aproximadamente 10 centímetros. O objeto foi rastreado pelo equipamento de raio-X no momento da revista, que flagrou a lâmina colada nas páginas de um livro. A mulher, mãe de sentenciado, foi suspensa do rol de visitas.

Penitenciária de Álvaro de Carvalho

No sábado, 11, por volta das 11h50, uma mulher de 24 anos foi flagrada com um invólucro emborrachado contendo entorpecente na Penitenciária “Valentim Alves da Silva” de Álvaro de Carvalho. Ela foi barrada no momento em que passava pelo scanner corporal, que identificou objeto introduzido no corpo. Quando questionada pelas agentes, a mulher negou que possuía qualquer objeto escondido.

A visitante foi encaminhada à unidade de saúde local para a realização de exame médico, que constatou um pacote introduzido na vagina. Tratava-se de aproximadamente 113 gramas de cocaína e diversos extratos bancários.

PII de Pirajuí

Outro caso envolvendo droga no órgão genital ocorreu no sábado, na Penitenciária “Luiz Gonzaga Vieira”, a PII de Pirajuí. Por volta das 8h, esposa de sentenciado foi flagrada pelo scanner corporal com um objeto não identificado na região pélvica.

A mulher foi questionada e acabou confessando que escondia droga no corpo. Ela foi encaminhada a uma sala separada e retirou voluntariamente do fundo da calcinha, um pacote plástico contendo aproximadamente 86 gramas de maconha.

Penitenciária de Araraquara

Agentes de segurança da Penitenciária “Dr. Sebastião Martins Silveira” de Araraquara, frustraram a entrada de uma mulher com celular escondido nos pertences. O aparelho, que seria destinado ao preso, estava dentro de uma sacola e foi descoberto no momento da revista de raio-X.

O caso ocorreu no domingo, 12, por volta das 7h30 da manhã.

Em todos os casos a Polícia foi acionada e foi instaurado procedimento disciplinar para apurar a cumplicidade dos presos que receberiam os entorpecentes.  

A SAP informa que pessoas flagradas tentando adentrar com objetos proibidos em unidades prisionais são automaticamente suspensas do rol de visitas.